domingo, 16 de outubro de 2011

Sade diz como rompeu com o mundo das celebridades em entrevista ao Fantástico

A cantora Sade afirmou que esperou a vida inteira para cantar no Brasil. Ela revelou que uma astróloga disse que, quando nasceu, a sorte dela estava ligada ao nosso país. A intérprete contou que põe seu coração e sentimentos nas canções.

Sade diz como rompou com o mundo das celebridades em entrevista a Zeca Camargo, ela fala sobre carreira, isolamento e escolhas pessoais.

O Fantástico entrevistou uma das maiores cantoras do mundo, que está vindo fazer a sua primeira apresentação no Brasil: Sade. No Brasil e no resto do mundo, nunca foi muito simples pronunciar seu nome corretamente, mas ninguém tem dificuldade de cantar seus sucessos.

Desde os anos 1980, a cantora é símbolo de músicas românticas e inesquecíveis. Mas se Sade, a cada disco, ficava mais popular, sua figura ficava mais misteriosa. Uma artista que parecia fazer questão de se esconder. Mas, agora, às vésperas de se apresentar pela primeira vez no Brasil, Sade quebra o silêncio.

O que você vê agora no Fantástico é uma oportunidade rara. Uma entrevista com uma das artistas mais queridas do mundo todo e que vem agora ao Brasil, pela primeira vez. Sua expectativa é grande e seus motivos para vir ao país vão além da mera curiosidade. Ela contou que sempre teve curiosidade de visitar dois países no mundo: a Islândia e, especialmente, o Brasil.

“Uma astróloga me disse um dia que, quando eu nasci, todas as minhas estrelas da sorte estavam no céu do Brasil. Eu tinha que vir”, disse.

Dos sete discos de Sade, quatro têm no título a palavra ‘love’ ou alguma variação dela. A turnê de lançamento do seu mais recente trabalho, “Soldier of Love”, passa por São Paulo na quinta-feira (20), e depois segue para Rio e Brasília, resumindo toda a sua carreira.

“É a história dos nossos altos e baixos”, ela diz, como se alguém se lembrasse dos baixos.

Entre os incontáveis prêmios recebidos, os mais famosos são três Grammys. O primeiro foi em 1986, como artista revelação. O último, em 2002, consagrada como melhor vocal pop. Em 30 anos de carreira, o seu rosto belíssimo mudou muito pouco. Logo que estourou, virou uma referência de estilo, o que assustou a artista de vinte e poucos anos.

“Tive de crescer tendo a vida constantemente em exposição. Hoje, as novas cantoras são mais preparadas do que eu era. Meu caminho foi meio ‘punk’. Eu nunca planejei nada e nunca ninguém me explicou o que seria ter uma vida pública”, diz.

Zeca Camargo pergunta quando foi que ela resolveu romper com o mundo das celebridades e Sade conta outra história deliciosa. “Eu já era bem conhecida, sempre saía com pessoas que eu achava que eram minhas amigas. Então, uma noite, estava em um clube de jazz ouvindo alguém cantar, me divertindo, mesmo. Um desses amigos me disse que eu tinha ficado mascarada. ‘Eu? Mascarada?’. A ficha caiu. A partir daí, passei a escolher muito bem quem faria parte do meu círculo íntimo”.

Essa distância acabou refletindo também na sua carreira. Nos últimos 20 anos, seus shows são uma raridade. Porque o isolamento? “Tem a ver com o que eu acredito”, responde. Para os artistas jovens, Sade aconselha: “Espero que eles não fiquem só desejando a fama. Para mim, o que sempre contou foi a verdade no que eu fiz”.

Zeca Camargo diz que essa é uma bela lição, que só poderia vir de uma artista que é confiante na sua arte e no que quer da vida. Mas ela logo o corrige: “Não é tanto uma questão de confiança, não, mas de amor. Eu ponho meu coração e meus sentimentos nas canções. Eu não tenho medo de me expor hoje em dia”.

Por tudo isso, Zeca Camargo agradece: “Obrigado, Sade. E muito bem vinda ao Brasil”.




By: Margareth

3 comentários:

Glaucia disse...

Dama do soul music!!! Imperdível!!!

Anônimo disse...

Eduardo,

houve um erro de redacao, que comecou no site do Fantástico.

ROMPEU em vez de ROMPOU.

Abracao,

Marcio

Siqueira disse...

Vlw Marcio,corrigido amigao!!!